Contornos Irregulares pós Lipoaspiração

Meninas, encontrei no site da Brasil Medicina, um estudo maravilhoso escrito por um Cirurgião Geral e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética a respeito de complicações após a lipoaspiração, como formação de fibroses, irregularidades, quelóides,sobras de pele e gordura. Ele explica bem claramente como estes processos ocorrem no organismo. Achei muito bom,pois esclarece muitas dúvidas! Leiam!!!

Complicações em Lipoaspiração

Contornos Irregulares
GARGAN e COURTISS (1984) definem os contornos irregulares do pós-operatório como seqüelas indesejáveis da lipoaspiração,pouco menores do que uma complicação verdadeira. Para NING CHANG (1994), os contornos irregulares pós-lipoaspiração são efeitos indesejáveis de superfície, incluindo depressões, ondulações, chanfros, excesso de pele e protuberâncias no contorno que podem distinguir-se visualmente e que não se misturam facilmente à superfície próxima.

A lipoaspiração por se constituir em uma técnica invasiva, representa uma agressão que provoca uma reação em cadeia em todo o sistema de defesa do corpo. O organismo entra em ação, enviando para o local agredido, células especializadas para combater a infecção, como leucócitos, linfócitos, macrófagos, entre outros. Vão para o local também as plaquetas, cuja função é vedar os locais que foram invadidos pela cânula. O organismo libera fibrina, que é uma proteína polimerizada insolúvel, que forma uma rede de fibras ao redor das plaquetas que se fixaram nas bordas do ferimento umas as outras. A rede envolve-se nas células sangüíneas e se contrai, expulsando o soro e deixando o coágulo mais ou menos sólido (nódulos). Desta forma, quanto maior a quantidade de gordura retirada, maior será a agressão e, conseqüentemente, maior será a reação do organismo. Neste caso, tem início um processo de cicatrização irregular, que tende a formar uma fibrose subcutânea, fazendo aderências que prendem a pele ao músculo. As depressões, ondulações e assimetrias, em alguns pacientes, ficam visíveis logo na primeira semana, em outros, após duas ou três semanas devido ao edema. À medida que este vai sendo eliminado, as irregularidades da cicatrização começam a aparecer. Poucos são os casos de cicatrização irregular, e para estes podem ser empregadas técnicas corretivas que vão desde a correção cirúrgica até a utilização de recursos estéticos como a drenagem linfática, entre outros.

Contorno Irregular – Depressão
A retirada em excesso de gordura no procedimento cirúrgico ocasiona a depressão. Para esta complicação, GINGRASS (1999) explica que o tratamento consiste em enxertar um pouco de gordura na área deprimida, no mesmo momento em que se realiza a cirurgia ou uma lipoaspiração na área em volta da depressão para camuflá-la. Em depressões pequenas pode ser feita a subcisão para soltar a área de retração subcutânea.

Contorno Irregular – Saliência
A saliência é a sobra de gordura detectada após o ato cirúrgico, ou seja, acúmulos adiposos não removidos na cirurgia inicial. GINGRASS (1999) explica que a revisão da lipoaspiração nas áreas com resíduos de gordura deve ser realizada, de preferência, após o inchaço ter desaparecido completamente, em torno de seis meses.

Hiperpigmentação Cutânea Causada Pela Lipoaspiração
Segundo MATEU e HERNANDEZ (1997) as complicações causadas pela lipoaspiração, chamadas equimoses cutâneas, mesmo após desaparecerem, deixam seqüelas que podem piorar com os efeitos do sol sobre a pele na falta de proteção. Os autores enfatizam ainda que a pigmentação anormal pode ser causada por lesões pigmentares; lesões pigmentares adquiridas; dermatoses com hiperpigmentação; administração de drogas enterais ou distúrbios sistêmicos. Afirmam também que a hiperpigmentação pode resultar da longa exposição ao calor, fricção, arranhões, atritos e pressões sobre a pele, ou pela administração intramuscular de ferro cuja conseqüência é um depósito nos tecidos e que eventualmente se estendem através do sistema linfático, mas parece não haver possibilidade de ser causada por ferroterapia oral. Enfim, as causas de hiperpigmentação que decorrem da lipoaspiração são multifatoriais. A mais comum é por depósito de hemossiderina, um pigmento encontrado nas células sangüíneas. O tratamento consiste em peelings com produtos despigmentantes e clareadores.

Discussão
Podem ocorrer inúmeras complicações durante uma lipoaspiração, tais como problemas decorrentes de atos anestésicos tanto nas anestesias geral, peridural, raquidiana ou local com sedação; infecção local ou sistêmica; hemorragia sem hematoma de grande volume; perfuração de tecidos adjacentes como músculos ou tendões; perfuração de órgãos intraabdominais, intratoráxicos, dentre outras. No entanto, como resultado deste estudo, dentre os casos investigados no período de 1993-2002, foram encontradas as seguintes complicações decorrentes da lipoaspiração: contornos irregulares depressão e saliência, hiperpigmentação cutânea, quelóide, flacidez e embolia pulmonar.

Considerações Finais
A partir do advento da lipoaspiração, o contorno do corpo tornou-se um dos procedimentos cirúrgicos estéticos mais comuns. Entende-se por complicação, resultados não satisfatórios obtidos a partir de cirurgia, tanto no plano estético como no funcional. As complicações em lipoaspiração identificadas neste estudo foram os contornos irregulares do tipo saliência e depressão, hiperpigmentação, flacidez e quelóide. Pelas queixas dos pacientes, notou-se que em sua maioria, correspondem a problemas de assimetria.
O contorno irregular – saliência pode ser explicado em razão de que ao proceder a sucção o cirurgião opta pela retirada de uma quantidade menor de gordura, uma vez que é mais fácil realizar a correção, ou retoque através da adoção de um procedimento secundário.
Por meio dos resultados da investigação é possível afirmar que o sucesso da maioria das cirurgias de lipoaspiração se deve à habilidade técnica do cirurgião, ao uso do instrumental adequado e aos cuidados pré e pós-operatórios. Sendo que a relação médico-cirurgião paciente é uma das variáveis que contribuem para o êxito da lipoaspiração.
Detectou-se também, por meio da investigação que os cuidados pré-operatórios, tais como uma criteriosa anamnese seguida de exames físicos e laboratoriais mostraram-se eficientes evitando o risco de complicações no pós-operatório. Com relação à técnica cirúrgica os passos atendidos corresponderam a: demarcação das áreas alvo, sedação endovenosa; antisepsia; infiltração de solução anestésica; posição na mesa cirúrgica, sutura; drenagem linfática e curativo.
De outra forma, a clínica, ofereceu as condições adequadas para realizar cirurgias de lipoaspiração uma vez que adota as normas técnicas de controle de infecção hospitalar as quais reduzem sobremaneira os riscos de infecção. Destaca-se que a cirurgia de lipoaspiração é eficiente para a gordura localizada, portanto, não é um tratamento de obesidade. Assim sendo, a lipoaspiração deve ser evitada em pacientes com Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 30%; nestes casos recomenda-se um regime ou dieta calórica até alcançar o peso ideal. A lipoaspiração é um ato cirúrgico e deve ser vista na sua forma mais complexa para resultar em êxito. Os aspectos importantes a serem considerados são: avaliação do contorno corporal como um todo; planejamento rigoroso da cirurgia, informando o paciente sobre as possibilidades e limitações da lipoaspiração; cuidados que permitam eficiência ao aspirar a gordura, evitando causar depressões (lipoenxertar quando for o caso); tratar a pele como uma estrutura viva que pode ser remodelada, atentando para a sua vascularização; usar de rigor absoluto nos curativos; recomendar e exigir a utilização de cinta com função remodeladora por três meses no pós-operatório; incentivar a paciente a praticar exercícios e promover uma mudança de hábitos Alimentares.

Dr. Sérgio Luís Keinert, é especialista em Cirurgia Geral, Pós-Graduado em Medicina Estética pela Fundação Técnico Educacional Souza Marques, Membro Associado do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Medicina Estética.

Fonte: WWW.BRASILMEDICINA.COM.BR

94 Comentários

  1. Marcelo  /  17 de outubro de 2017, 11:55 Replicar

    Fiz uma cirurgia na mao na cicatriz deu aderência e dores ja faz um ano, fiz fisioterapia massagem e nada de melhorar alguem pode me ajudar?

  2. rosa  /  8 de agosto de 2017, 16:05 Replicar

    Ola,
    eu fiz lipo tem 4 meses, meu peso era 63 kilos no dia quem fiz e continuo com o mesmo peso ate hj ou seja nao sei oque ouve meu peso nao mudou.
    problema e que nao estou satisfeita, minha barriga e costa ficou muitas partes inrregulares e muitas fibroses, penso em fazer o retoque mas estou em duvida se faco logo uma abdminoplastia pois ja tenho 42 anos e tenho medo de ter flacidez caso mecher novamente.
    alguem ja fez abdominoplastia depois de ter feito lipoescultura?

  3. Cristiane  /  19 de outubro de 2016, 9:39 Replicar

    Ola fiz lipoescultura fazem 7 meses ma minha barriga perto do umbigo ficou com uma leve flacidez e quando me sento fica com dobras é normal?

  4. Bárbara  /  4 de julho de 2016, 14:12 Replicar

    Boa tarde!

    Fiz lipo a 3 meses, porém deu um “ovo” na minha barriga na região do umbigo , não ficou reta.
    O médico disse que é normal e vai sair. Posso confiar?
    Ele já pediu para tirar a cinta.

    • Patricia  /  17 de fevereiro de 2017, 16:20 Replicar

      Oi , fiz lipo e aconteceu a mesma coisa. Nossa ficou horrível. Aí, fiz a besteira de fazer o retoque em seis meses. Não faça isso .espere um ano , aí sim faça o retoque. Mas amiga, depende quanto vc tirou também. No meu caso, fiz o corpo todo. Tirei 10% do meu peso. Tinha 74 kg. Fiz em jan de 2015. Me cuidei muito. Hj tenho 56 kg, mas ainda tenho muitas marcas de depresao na pele da lipo, ondulações e pele sobrando. Ou seja, precisaria de mais uma lipo para tirar o que ficou e outras duas para tirar as peles da perna e barriga , affef rsrsrs

    • Angelica  /  28 de setembro de 2017, 2:31 Replicar

      Tbm fiz uma lipoescultura faz dois meses.. ficou a mesma salencia ao lado do umbigo… O médico pediu p aguardar p ver se sai… Caso não saia precisarei passar por algum procedimento. Eu acredito que seja gordura.

  5. Adriana  /  2 de junho de 2016, 11:42 Replicar

    Estou desesperada, faz 4 meses que fiz lipo, nos joelhos ( interno ) e nos culotes.
    Até hoje existe uma sombra roxa que não quer desaparecer.
    Em breve estarei de férias em uma praia.
    Alguém tem dicas para que melhore?

    • Josiana  /  5 de junho de 2016, 10:39 Replicar

      Bom dia
      Vc usou hirudoide 500 em gel? O procedimento correto é a pomada e sessões de drenagem linfática para a retirada do acúmulo do líquido, use hirudoide 3 vzs ao dia, e não tome sol no local, caso contraio, se o local lipado for exposto ao sol a mancha escura permanecerá, assim
      sendo preciso entrar com ácido forte para tentar elimina-la… Abrç

  6. Cíntia Machado  /  8 de maio de 2016, 14:45 Replicar

    Olá a todos (as)!

    Eu fiquei com irregularidades e manchas escuras após a lipo de abdômen… Mas minha irmã, que já fez quatro vezes esse procedimento, me disse que levam até 6 meses para ver o resultado! Faz apenas um mês que fiz a cirurgia… Eu decidi usar o fluido clareador Eucerin e faço drenagem linfática todos os dias! Logo voltarei para contar como estou me sentindo! Até breve 😉

    • Helena  /  25 de junho de 2017, 21:15 Replicar

      Cíntia, como ficaram as manchas? Estou com um problema similar.

  7. Patricia Melo  /  8 de fevereiro de 2016, 15:31 Replicar

    Olá meninas tudo bem? depois de uma lipoaspiração não podemos nos esquecer de usar as placas de contenção nas regiões operadas, elas são de fundamental importância para uma recuperação bem sucedida, essas são as melhores.

    Vejam neste link: http://loja.servimedic.com.br/placas-de-contencao-pos-cirurgica-para-lipoaspiracao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *